SCMCs na FEBRATEX

Momento de encontro entre representantes SCMC no Talks Febratex
Amélia Malheiros e Alexandre Herchcovitch em uma conversa descontraída sobre sua carreira.

O SCMC marcou sua presença na FEBRATEX em dois momentos. O primeiro, na terça-feira do dia 21 de Agosto, em um talk descontraído onde Amélia Malheiros (FHH) e Osni Junior (Círculo) destacaram os pontos altos de missões que participaram nos últimos meses para o Copenhagen Fashion Summit e ao Vale do Silício.

Entre assuntos que abordaram a nova face da moda, atitudes éticas e sustentáveis que a nova indústria deverá adotar nos próximos anos e inovações tecnológicas, mudança de mindset para inovação, novos modelos laborais e de educação. Contamos ainda com Rodrigo Cabral, da Audaces, contando como as tecnologias virão a interferir na Indústria 4.0 da Moda, tornando as atividades dos designers muito mais intuitivas e voltadas à inovação.

O ponto auge da noite foi aconversa mediada por Amélia Malheiros com o estilista da marca A La Garçonne, Alexandre Herchcovitch. No bate papo, que tratou de toda a trajetória do designer enquanto estudante de moda, sua ascensão ao mercado com a marca que leva o próprio nome, desfiles no SPFW, mas, o tópico largamente explorado foi a sustentabilidade, a escolha dos materiais e o reuso de peças garimpadas e recolocadas como coleção na marca atual.

Ainda, os associados SCMC presentes nos stands trouxeram novidades que chamaram a atenção dos visitantes. A Coratex uniu a inovação tecnológica às artes manuais analógicas, enquanto negócios aconteciam dentro do stand, a artista Jô Santos com seu projeto Arte por Onde Eu For expunha os trabalhos feitos com os corantes da marca em um incrível live painting.

A HI Etiquetas aproveitou o volume de visitantes em seu stand para apresentar a novidade: Cabedais tecidos em tear para confecção de calçados. As peças expostas trazem à realidade uma gama de produtos que podem ser desenvolvidos pela indústria calçadista, afim de tornar viável a inovação no design das peças com muito mais velocidade.

A Audaces, por sua vez, colocou ao centro da feira um provador virtual, onde um scanner corporal fazia a leitura dos movimentos do corpo à sua frente e, então, recriando os mesmos movimentos ao avatar na tela, denotando o caimento da peça piloto no corpo do usuário sem ao menos ter sido impresso o molde.

< Voltar para notícias